Notícias

1º de dezembro – Dia Mundial de Combate à Aids

Data foi escolhida pela Organização Mundial de Saúde e é celebrada anualmente desde 1988 no Brasil, um ano após a Assembleia Mundial de Saúde que fixou a data de comemoração

01/12/2017 às 14:54:07

O Dia Mundial de Combate à Aids é comemorado em 1º de dezembro e tem por função primordial alertar toda a sociedade sobre essa doença. A data foi escolhida pela Organização Mundial de Saúde e é celebrada anualmente desde 1988 no Brasil, um ano após a Assembleia Mundial de Saúde que fixou a data de comemoração.

A infecção pelo HIV pode afetar qualquer pessoa, sem distinção de classe social, idade, raça/cor, orientação sexual ou gênero/identidade de gênero. No entanto, esse diagnóstico deixou de ser uma sentença de morte: hoje é possível viver e ter qualidade de vida mesmo tendo o vírus. Segundo o Setor de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, nos últimos cinco anos foram confirmados 67 casos da doença em Ibiporã – a maioria homens: 64,75%.

O diagnóstico precoce é importante porque, quanto antes alguém descobre que tem o vírus, mais cedo é possível começar o tratamento, prevenindo doenças oportunistas e ganhando mais qualidade de vida. Além disso, também possibilita que esta pessoa impeça a transmissão do vírus para seus parceiros. O diagnóstico pode ser realizado na rede pública de saúde com o uso do teste rápido, que é gratuito, seguro e sigiloso. Em apenas 30 minutos o resultado está pronto, sem necessidade de requisição médica, jejum ou qualquer outro pré-requisito.

Em Ibiporã, cada Unidade Básica de Saúde (UBS) tem um dia da semana para realização do teste rápido para a detecção das Infecções Sexualmente Transmissíveis – HIV, sífilis e hepatites B e C. É necessário levar o Cartão SUS e um documento com foto. Além da testagem é realizado um aconselhamento sobre as infecções sexualmente transmissíveis, formas de contágio e prevenção e distribuição de insumos de prevenção (preservativos masculino e feminino, gel lubrificante e cartilha).

Segundo a coordenadora da Divisão de Programas de Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, Tissiane Soares Seixas de Matos, deve fazer o teste quem tenha passado por uma situação de risco, como ter feito sexo desprotegido ou compartilhado agulhas e seringas contaminadas. Após a infecção pelo HIV, o sistema imunológico demora cerca de um mês para produzir anticorpos em quantidade suficiente para serem detectados pelo teste. Por conta disso, o mais aconselhável é que se faça o exame após esse período.

O resultado do Teste Rápido é divulgado em no máximo 30 minutos, após a coleta de sangue capilar - na ponta do dedo da mão. "A entrega do exame é feita individualmente. Caso a amostra seja reagente para HIV é realizado outro exame na hora, com laboratório diferente para a confirmação do resultado. Se o resultado foi positivo novamente, um agendamento no Centro Integrado de Doenças Infecciosas (CID) de Londrina é realizado para o paciente iniciar o tratamento", informa Tissiane. O tratamento para hepatite é realizado no ambulatório do Cismepar, em Londrina. Já a sífilis é tratada na própria UBS. "O diagnóstico precoce permite que o paciente comece o tratamento no momento certo e tenha uma melhor qualidade de vida. Mães soropositivas podem aumentar suas chances de terem filhos sem o HIV, se forem orientadas corretamente e seguirem o tratamento recomendado durante o pré-natal, parto e pós-parto", ressalta a coordenadora de Programas de Saúde.

 


Envie seu comentário